Para uma vida Saudável!


    Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home2/dicasden/public_html/postagem.php on line 90

    Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home2/dicasden/public_html/postagem.php on line 111

Dica de Nutricionista

>> Ver Postagens Antigas
quarta, 22 de junho de 2016

Dicas de Nutrição - Rinite Alergica

Rinite é a inflamação aguda ou crônica, infecciosa, alérgica ou irritativa da mucosa nasal, sendo os casos agudos, em sua maioria, causada por vírus, ao passo que os casos crônicos ou recidivantes são geralmente determinados pela rinite alérgica, induzida pela exposição a alérgenos, que, após sensibilização, desencadeiam resposta inflamatória mediada por imunoglobulina E (IgE).

 

Esta página tem caráter exclusivamente de esclarecimento e educação da sociedade. 

Procure sempre por um Médico e/ou Nutricionista para te orientar, pois os atendimentos devem ser individualizados!

 

Por  Marciane Jaqueline - Estudante de Nutrição 

 Sintomas:

Os sintomas mais comuns são rinorréia aquosa, obstrução ou prurido nasal e espirros em salvas. Muitas vezes acompanham sintomas oculares como prurido, hiperemia conjuntival e lacrimejamento (BRASIL, 2010). Os sintomas de rinite alérgica podem ocorrer em qualquer idade, iniciando-se geralmente na infância.

Classificação:

É classificada de acordo com a duração dos sintomas (intermitente ou persistente) e gravidade (leve, moderada ou grave). Rinite intermitente quando é considerada a duração total do episódio de inflamação é inferior a quatro semanas e, quando os sintomas persistentes continuar durante todo o ano. Os sintomas são classificados como leves, quando os pacientes geralmente são capazes de dormir normalmente e executar atividades normais.

Fatores desencadeantes

O ambiente tem grande influência no desencadeamento desta doença e alguns dos principais fatores que afetam a cascata de sintomas da Rinite Alérgica são pêlos de animais, poeira que pode estar escondida em carpetes, tapetes, sofás e cortinas, ácaros, pólen, poluentes atmosféricos tais como o ozônio e dióxido de enxofre, vírus, fungos, bactérias, grama, ar frio, estados emocionais, exposição ao tabaco, sprays de cabelo e desodorantes, aspirina, sedentarismo e alimentos (DALILA, 2015).

A alergia alimentar raramente induz sintomas de rinite de modo exclusivo, apesar dos sintomas nasais ocorrerem com frequência no contexto da reação anafilática desencadeada por alimentos.

Outro fator relacionado a atividades recreativas tem como exemplo a natação em piscinas cloradas e atuam como potenciais agravantes da rinite alérgica.

Na história ambiental é importante a investigação detalhada das condições ambientais em que o paciente vive, incluindo o domicílio e a vizinhança, o ambiente profissional, quanto aos seguintes aspectos: idade do prédio ou da casa, ventilação, tipo de piso, presença de carpete ou tapete, cortinas, estantes, material e revestimentos de colchão, travesseiros e cobertores. Também aparelhos de ar condicionado e sua manutenção, plantas intra-domiciliares, vegetação na área externa e poluentes extra-domiciliares. É necessária ainda a investigação sobre os demais aparelhos e sistemas, obtendo-se informações sobre condições clínicas co-existentes (ex.: alterações hormonais) e de medicações em uso (ex.: ácido acetil-salicílico e beta-bloqueadores).

 Tratamento

Os anti-histamínicos são as principais substâncias usadas para o tratamento dos sintomas, nasal e oral, Corticosteroide nasal, Cromoglicato dissódico nasal, Antileucotrienos, Imunoterapia específica com alérgenos. 

 

Alimentação

Alguns estudos indicam que a ingestão de bactérias benéficas ajudam a reduzir a reação alérgica ao pólen. Além disso, os probióticos têm papel fundamental na reconstrução do sistema imunológico, uma vez que estima-se que 80% das nossas reservas imunológicas encontram-se no intestino.

Quercetina – Flavonoide, um pigmento vegetal de frutas e vegetais. Pesquisas revelaram que a quercetina tem o poder de parar a produção e a liberação de histamina, que é responsável por causar irritação nos olhos e a congestão nasal.

Spirulina – Um tipo de microalga azul, pode proteger contra reações alérgicas severas.

Vitamina C – além de ter propriedades anti-histamínicas, pode reduzir os sintomas da RA em pessoas afetadas, potencializando, assim, o sistema imunológico contra a enfermidade. Após a avaliação médica, é elaborado o tratamento que engloba cuidados gerais, a alimentação pode auxiliar o portador de rinite, principalmente melhorando o sistema imunológico, reduzindo a umidade interna e a produção de muco. O uso dos alimentos antioxidantes reduz o processo inflamatório no organismo, o que contribui para evitar o problema.

• prefira vegetais cozidos: podem ser usados refogados e em sopas;

• utilize alimentos integrais: aveia, arroz integral, cereais matinais integrais;

• coloque um fio de azeite de oliva extra-virgem nas refeições;

• tempere os alimentos como salsa, cebolinha, hortelã. Evite cubos de carnes industrializados;

• aumente o consumo de água;

• somente durante as crises evite leite e derivados. Estes alimentos podem aumentar a formação de muco.

• aumente o consumo de fontes de ômega 3 como peixes, quinua e linhaça.

• tenha uma alimentação natural, evitando os excessos de conservantes presentes dos enlatados e embutidos como salsicha, mortadela.

• faça chás como o de hortelã e de eucalipto.

 Fonte: http://www.nutricio.com.br/alimentacao-rinite.htm

 

Prevenção

A melhor maneira de prevenir as crises de rinite alérgica, é adotar medidas para diminuir a presença de agentes alérgenos e irritantes no nariz. É preciso evitar sempre as substâncias que desencadeiam a crise de rinite, como os poluentes e as substâncias químicas, como a poeira doméstica e os ácaros, e agentes e substâncias irritantes.

•Retire tudo o que pode juntar poeira em sua casa.

•Tapetes, carpetes, cortinas grossas são locais de alojamento de ácaros e poeira.

•Os pisos lisos são muito mais fáceis de limpar e não abrigam ácaros.

•Tapetes finos e pequenos, que podem ser lavados, são mais práticos e menos prejudiciais.

•Cortinas leves, que podem ser lavadas são as ideais.

•Passe sempre um pano úmido sobre os móveis e o chão, se possível, diariamente.

•Deixe os ambientes sempre abertos para arejá-los e para que os raios solares entrem o maior tempo possível.

 

 Referências

ASBAI – Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia - Rev. bras. alerg. imunopatol. – Vol. 29, Nº 1, 2006 https://www.sbai.org.br acesso 12-05-2016

BRASIL, Ministério da Saúde, Caderno de Atenção Básica nº 25 – Doenças Respiratórias Crônicas. Brasília – DF - 2010

CORA - Centro de Orientação em Rinite Alérgica, 2007 - https://www.ocora.com.br/rinite.asp acesso 11-05-2016

DALILA Marina - Alimentos e suplementos úteis no combate à rinite alérgica- ARTIGO - Publicado em 30/04/2015 http://www.epochtimes.com.br/tag/marina-dalila/acesso 11-05-2016

MION, Olavo – Rinite Alérgica – Academia Brasileira de Rinologia. 2016 -  http://www.rinologia.org.br acesso 11-05-2016

NEVES, Maria Braga, http://www.nutricio.com.br/alimentacao-rinite.htm acesso 07-05-2016




So Nutri © 2013 Todos direitos reservados | Termos de uso